“Cinzas na neve” – Ruta Sepetys

#Cinzas na Neve Número de páginas: 240 Editora: Arqueiro Autora: Ruta Sepetys Sinopse da Editora: 1941. A União Soviética anexa os países bálticos. Desde então, a história de horror vivida por aqueles povos raras vezes foi contada. Aos 15 anos, Lina Vilkas vê seu sonho de estudar artes e sua liberdade serem brutalmente ceifados. Filha…

Anúncios

“As crianças esquecidas de Hitler” – Ingrid Von Orlhafen

#AsCriançasEsquecidasDeHitler –  A verdadeira história do programa Lebensborn #IngridVonOelhafen #TimTate #Contexto – por Babi @esquinadolivro ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Você já parou para pensar sobre as suas raízes? “… Ter raízes, talvez seja a necessidade mais importante e menos reconhecida da alma humana. ” Ingrid Von Oelhafen ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ A história é narrada por Ingrid e conta toda sua…

“Bibliotecária de Auschwitz” – Antônio G. Iturbe

#ABibliotecáriadeAuschwitz #AntonioG.Iturbe #Agir – Marcela @coruja_literaria ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Este livro maravilhoso nos conta a história de Fredy Hirsh e Dita Dorachova, duas personalidades fortes e determinadas que percorreram o pior campo de concentração da história: auschwitz. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Fredy foi um atleta judeu alemão que se destacou nesse período por sua coragem, em pleno auge da guerra…

“A guerra que me ensinou a viver” – Kimberly Brubaker Bradley

A Guerra Que Me Ensinou a Viver  por Marcela @coruja_literaria   Acho complicado falar sobre continuações, uma vez que é impossível falar delas sem spoilers… Este livro é a continuação de “A Guerra que Salvou a minha Vida”. Resenha: Ada é uma garotinha que não teve a infância nada fácil. Nascida com uma deficiência chamada…

“A guerra que salvou a minha vida” – Kimberly BrubakerBradley

⠀⠀ Resenha: Ada, uma garotinha de dez anos vive com A Mãe e o irmão caçula Jamie em um pequeno apartamento em Londres, no período da Segunda Guerra Mundial. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Jamie leva sua vida infantil quase como outra criança qualquer… Já Ada não teve a mesma sorte pois nasceu com uma deficiência no pé direito…

“O diário de Anne Frank”

Ontem terminei a leitura de um clássico: “O diário de Anne Frank”. Como tinha dito no Instagram, esse livro ficou comigo nos últimos 30 dias, mas como foram muito corridos e atarefados, ele não foi lido com a intensidade que eu gostaria. Mas da última quinta-feira pra ontem, li as cerca de 200 páginas que…