“Os quase completos” – Felippe Barbosa

9528C1D3-5812-4A29-9C19-496A160574D8.jpeg

Estava fazendo postagens no @mamaetalendo e recebi um direct pra conhecer o livro do Felippe Barbosa. Gostei da capa, curti a sinopse e fui atrás. 

Não encontrei nas livrarias daqui e já estava angustiada. Até que ganhei de aniver um kindle e não pensei duas vezes, comprei. 

Olha foi amor à primeira vista. Primeiro imaginei que “Os Quase completos” fosse um livro de ficção com algumas explicações científicas, bem diferente da minha zona de conforto. Mas aí, com o passar dos capítulos fui compreendendo a história, e olha, quanto ensinamento! Juro, no final desacelerei a leitura pra poder curtir mais um pouco. 

É um livro sobre o “nosso eu”, de pensar pra valer, de tentar um todo e não o quase. De ser completo, realizado e amado. Amado por você mesmo em primeiro lugar. 

Em alguns momentos lembrei do filme “Um homem de família”, em que o personagem de Nicholas Cage é levado a uma vida completamente diferente da sua atual, uma espécie de “sampling” – amostra – do que seria sua vida se ele tivesse seguido outro caminho. 

Agora imagine se você tivesse a chance de entrar em um ônibus, com destino a uma viagem louca! Foi isso que o quase Doutor fez. Infeliz profissionalmente e com dúvidas em relação ao amor embarcou para essa viagem onde foi transportado ao Oitavo Reino. 

“É simples, sim. É muito simples, na verdade. Você ganhou uma vida nova. Uma vida num lugar onde tem tudo para que seja verdadeiramente feliz”.

Veronica, a quase viúva, está sofrendo, seu noivo sofreu um acidente e está entre a vida e a morte. Passando tantos dias no hospital um velhinho que passa a dividir o quarto com seu noivo, passa a indagar e palpitar as ações de Veronica para o futuro. 

Victor, o quase repórter, sofre com a perda da esposa. E mesmo tendo passado um ano, busca respostas, pois não acredita que de fato tenha se suicidado.

As três histórias se chocam, se entrelaçam e aí entra uma reflexão maravilhosa sobre a vida, sonhos, vocações, felicidade, amor e tudo de mais humano que existe no ser humano. 

“A  verdade é que nascemos com aspirações intrínsecas, e nossa vida nada mais é que uma busca por  preenchê-las. Uma busca por nossa própria identidade” 

Que livro maravilhoso! Devidamente recomendado. Me sinto renovada e transformada com essa leitura!

“O impossível pode ser inalcançável, mas se confiamos nele, conseguimos fazer do nosso possível a melhor versão”

➡️ Felippe Barbosa foi ganhador do prêmio Polén de literatura, prêmio promovido pela editora Arqueiro e a empresa Pólen. 

O Felippe foi um dos finalistas e ganhou a publicação de seu livro “Os quase completos”. 

Sinopse Editora Arqueiro:

O Quase Doutor é um renomado cardiologista que passa os dias em um hospital, mas no fundo é um artista frustrado. A Quase Viúva é uma professora que está de licença do trabalho para ficar com o noivo, em coma após um grave acidente. O Quase Repórter é um jornalista decepcionado com a profissão que sofre há mais de um ano pelo suicídio da esposa. A princípio, a única coisa que essas pessoas têm em comum é a sensação de incompletude e de desilusão com a vida.

Até que, um dia, o Quase Doutor é persuadido por um velho desconhecido a embarcar com ele em um ônibus rumo a uma jornada para se reconciliar com seu passado. Logo a viagem se transforma em uma aventura extraordinária e, em meio a fenômenos como uma chuva de estrelas cadentes, ele precisa fazer escolhas que mudarão seu destino para sempre.

Enquanto isso, eventos misteriosos levam a Quase Viúva a suspeitar que alguém dentro do hospital quer matar seu noivo e uma pesquisa minuciosa do Quase Repórter revela que sua esposa pode ter sido assassinada. Quando os dois tentam descobrir a verdade sobre seus amados, tudo leva a crer que a resposta está dentro do ônibus do Quase Doutor.

Reunidos num lugar que nunca imaginaram existir, os três serão forçados a enfrentar seus maiores medos e verão que, para se tornarem completos, precisarão encarar a batalha mais difícil de todas: aquela que travamos com nós mesmos. 

Deixe uma resposta