“A casa das marés” – Jojo Moyes

#semanadamulhercomjojo

F90C8281-15D8-4062-A4A5-C19354DF5E5E.png

Ooooo resenha difícil de fazer.
Simplesmente porque amo Jojo, e esse é o segundo livro que foi complicado pra mim. Não que não tenha gostado… É um livro ok. E somente isso, ok.
Demorei a engatar, lento e arrastado, muitos personagens… muitos nomes… muitos acontecimentos num mesmo livro: pós segunda guerra, artistas, romance, gravidez inesperada, abandono, traição, mulher abandonada com bebe pequeno, mulher se superando no trabalho, mistério, mulher cega, dificuldades financeiras… nossa, muita história para um livro só.
A Casa das Mares é o segundo livro escrito por Jojo Moyes. Não que sua escrita tenha mudado muito, mas com certeza amadureceu absurdamente.
O livro é dividido em duas partes:
Na primeira Lottie e Célia, amigas, praticamente irmãs, já que Lottie é criada pela família de Célia, no pós segunda guerra mundial, vivendo na pacata cidade de Merhan. Alguns artistas se mudam para a Mansão Arcádia e movimenta toda a cidade.
Na segunda, a decoradora Dayse se vê abandona pelo marido e com um bebe de 4 meses. Assume a missão de restaurar a casa Arcadia para tornar um luxuoso hotel.
E então as histórias e personagens começam a interagir.
Enfim, não me empolguei na leitura. Mas nem por isso desânimo dos livros de Jojo! Continuo achando os livros dela maravilhosos, só que esse não me encantou.

Sinopse

Merham é uma metódica cidade litorânea na década de 1950. Lottie Swift, acolhida durante a guerra e criada pela respeitável família Holden, ama viver ali, mas Celia, a filha legítima do casal, não vê a hora de ultrapassar as regras da cidade.
Quando um excêntrico grupo de artistas se muda para uma velha mansão construída de frente para o mar, as meninas não resistem à tentação de se aproximarem deles. Mas o choque para os moradores de Merham é inevitável e acaba por desencadear uma série de acontecimentos que terão consequências trágicas e duradouras para todos.
Quase cinquenta anos depois, no início do século 21, a mansão começa a ser restaurada, voltando à vida e, mais uma vez, trazendo à tona intensas emoções. E a magia que permeia a mansão faz com que os personagens confrontem suas lembranças e se perguntem: É possível deixar nosso passado para trás?

leia também:

Paris para Um

Ainda sou eu

Um mais um

Baia da Esperança

Resenha by Bianca Brandão

Anúncios

1 comentário Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s