“Um mais um” – Jojo Moyes

CB085920-49DC-4BB1-B6BC-9E1CF431A889

Em homenagem ao dia Internacional da Mulher – 08/03, faremos a #semanadamulhercomjojo

Uma leitura despretensiosa, leve e cheia de emoção! Sim, emocionante!

A trama envolta numa mãe batalhando para criar e sustentar seus filhos, e que mesmo nas dificuldades (contas, preconceito social e bullying) procurava enxergar o “copo meio cheio”.

“Todo mundo sabia o resultado. Quem tinha aparência esquisita apanhava. Quem continuava tendo uma aparência esquisita continuava sendo perseguido. Essa era a lógica demolidora e inflexível da cidade pequena.”

São quatro personagens principais e intercala a narrativa entre eles: Ed, o milionário que está sendo acusado de fornecer informações privilegiadas; Jess, a jovem que casou e engravidou muito cedo e que se vê sozinha cuidando de sua filha de dez anos e do enteado de dezesseis; Tanzie, a filha de Jess que é um prodígio em matemática; e Nick, enteado de Jess, jovem que sofre bullying por ser diferente, estilo gótico.

O que eles têm em comum? Nada! Mas acabam juntos em uma viagem com destino a grandes mudanças.

Ed oferece carona para levá-los à Escocia para Olimpíadas de matemática de Tanzie. A viagem é aquela típica de família: cheia de implicâncias e super divertida. E muita coisa acaba acontecendo…

“Não quero um relacionamento Ed. Com
Você nem com ninguém. Não há pespaço na minha vida para esse negócio de um mais um”.

O romance é previsível, mesmo com realidades tão distintas.

Clichê? Sim, um pouco, mas a história é tão bonita que isso passa a ser irrelevante. Definitivamente me apaixonei.

“- Quero ver o que podemos somar, Jessica Rae Thomas. Todos nós. O que você me diz?”

O livro Um mais um é fácil e delicioso de ler! #recomendo #indico #JojoMoyes manda muito bem!

“A lei da probabilidade combinada com a lei dos grandes números estabelece que, para vencer as dificuldades, de vez em quando temos que repetir algumas vezes um acontecimento para conseguir o resultado almejado. Quanto mais se faz, mais perto se chega. Ou, como explico para minha mãe, às vezes, basicamente, só precisamos insistir.”

Sinopse

Há dez anos, Jess Thomas ficou grávida e largou a escola para se casar com Marty. Dois anos atrás, Marty saiu de casa e nunca mais voltou. Fazendo faxinas de manhã e trabalhando como garçonete em um pub à noite, Jess mal ganha o suficiente para sustentar a filha Tanzie e o enteado Nicky, que ela cria há oito anos. Jess está muito preocupada com o sensível Nicky, um adolescente gótico e mal-humorado que vive apanhando dos colegas. Já Tanzie, o pequeno prodígio da matemática, tem outro problema: ela acabou de receber uma generosa bolsa de estudos em uma escola particular, mas Jess não tem condições de pagar a diferença. Sua única esperança é que a menina vença uma Olimpíada de Matemática que será disputada na Escócia. Mas como eles farão para chegar lá? Enquanto isso, um dos clientes de faxina de Jess, o gênio da computação Ed Nicholls, decide se refugiar em sua casa de veraneio por causa de uma denúncia de práticas ilegais envolvendo sua empresa. Entre ele e Jess ocorre o que pode ser chamado de ódio à primeira vista. Mas quando Ed fica bêbado no pub em que Jess trabalha, ela faz questão de deixá-lo em casa, em segurança. Em parte agradecido, mas principalmente para escapar da pressão dos advogados, da ex-mulher e da irmã — que insiste em que ele vá visitar o pai doente, Ed oferece uma carona a Jess, os filhos e o enorme cão da família até a cidade onde acontecerá o torneio. Começa então uma viagem repleta de enjoos, comida ruim e engarrafamentos. A situação perfeita para o início de uma história de amor entre uma mãe solteira falida e um geek milionário.

 

Leia também e saiba mais sobre a autora no link da resenha de Ainda Sou Eu.

ah! Tem resenha de Paris para um também!

Bianca Brandão

2 comentários Adicione o seu

Deixe uma resposta