“Um pequeno favor” – Darcey Bell

AA72B2C7-2AC4-4D2D-B6FA-4A2394EAB990

Foi a primeira vez que acabei de ler um livro e fiquei sem saber o que fazer… finjo que não li e não faço a resenha? Durmo e coloco a cabeça no travesseiro e fico torcendo pra que amanhã seja tudo diferente ao acordar?

E aí decidi honrar meu compromisso com o #mamaetalendo e contar a minha opinião pura e simplesmente: não gostei, senti frustração e raiva ao terminar a leitura. Se esse era o objetivo da estreante Darcey Bell, – polemizar… ela foi bem sucedida. Vou tentar em algumas linhas compartilhar essa experiência com vocês.

A leitura flui fácil, vantagem da autora que não perde tempo com descrições e detalhamentos, seus personagens são bem superficiais e eles se apresentam ao longo da história sem muitas camadas, mesmo sendo bastante complexos ao meu ver.

Não morri de amores por nenhum deles e ouso dizer que todos me irritaram um pouco ao longo da leitura. A protagonista Stephanie particularmente, é de uma burrice invejável, será que existe gente assim?

Daí você me pergunta, se você não gostou de nada, porque foi até o final? E aí talvez seja o pulo do gato de Darcey Bell: o livro entretém. Sim, fiquei com aquele quê de curiosidade, querendo saber até onde a cabeça da autora ia me levar… e assim fui até o final.

Aí a curiosidade matou o gato, pois a sensação de ter morrido na praia foi chata e perturbadora. Vocês já passaram por isso? Se sim, dividam conosco. (Pergunta recorrente no livro, onde a desprovida de cérebro, Stephanie, tem uma parte blogueira e recorre a isso pra ajudá-la na trama).

O livro é narrado de 4 pontos de vista diferentes, o da Stephanie na vida real, o da blogueira Stephanie, (desnecessário diga-se de passagem), o marido sofredor Sean e o de Emily, a amiga-sumida-que-pede-o-tal-favor. Esse artifício literário geralmente é usado pra explicar e dar credibilidade à história, mas na minha opinião, só encheu o livro de páginas e acabou com a sua imprevisibilidade.

Difícil de digerir, Um pequeno favor começa bem, mas é “esquecível “, embora me pergunte se por acaso eu não tive o alcance intelectual necessário para usufruir suas particularidades. Foi comparado à Garota exemplar e a Garota no trem, livros que amei! A minha sensação e explicação racional (risos), é que no meio do livro a autora parou de escrever e deu sua obra pra outra pessoa finalizar apenas com o intuito de polemizar. Pronto, falei. Fiz um grande favor a mim mesma e à pilha de livros que tenho pra ler, quando cheguei na página 334 do livro de Darcey Bell. Fim.

C3E242E0-F9C2-4488-8B1E-AC7E4D13F76D
Primeira edição

Darcey Bell nasceu em 1981 e foi criada em uma fazenda leiteira no oeste de Iowa. Atualmente, além de escrever, é professora pré-escolar em Chicago. ‘Um Pequeno Favor’ é o seu primeiro romance. E os direitos do filme foram vendidos pela Fox e já está sendo rodado. As atrizes Anna Kendrick e Blake Lively fazem parte do elenco. É… talvez seja um daqueles pouco casos em que o filme é melhor que o livro.

FF907AF9-000B-46D7-8707-12140F894630
Cenas do filme
9BCB3F52-DFA8-45E2-BEC3-8F9D4AD56172
Darcey Bell

#sinopse

Livro apontado como sucessor de Garota exemplar e A garota no trem, “Um pequeno favor” inclui traições e reviravoltas, uma pessoa morta e a questão recorrente: quem está enganando quem? Quando sua melhor amiga, Emily, pede a Stephanie para buscar seu filho Nicky na escola, ela alegremente concorda. Nicky e seu filho, Miles são melhores amigos — exatamente como ela e Emily. Mas Emily não volta. Ela não atende ao telefone ou responde às mensagens. Stephanie sabe que algo está terrivelmente errado. Aterrorizada, ela busca ajuda nos leitores do seu blog. Até que ela e Sean, marido de Emily, recebem notícias chocantes: Emily está morta. O pesadelo de seu desaparecimento finalmente chegou ao fim. Ou será que não?

Resenha by Sylvia Tavares

1 comentário Adicione o seu

Deixe uma resposta